23 de agosto de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.
  • ROTEIRO
  • Reservas

Reservas

Em qualquer museu, grande ou pequeno, o visitante tem apenas acesso a parte das coleções que o compõem. A exposição permanente de um museu, exibida segundo as opções científicas e museográficas da época em que foi criada, é uma mostra do que de melhor nele existe. Nas reservas dos museus, existem muitos outros objetos que contam outras tantas histórias mas que, por motivos vários, não integram o percurso da exposição permanente. Assim sucede no Museu de Alberto Sampaio. Devido quer à exiguidade do espaço expositivo, quer à qualidade e quantidade do acervo do Museu, há coleções que timidamente se mostram ao visitante e outras que permanecem mesmo afastadas do seu olhar, guardadas nas Reservas. Lembremos que o Museu possui excelentes coleções de traje litúrgico e civil e de amostras de tecidos que raramente são expostas.
Entre as coleções do Museu que raramente são mostradas ao visitante, refira-se também o conjunto de vinte e três livros de coro, sendo vinte de cantochão e três sem anotação musical, datados principalmente dos séculos XVI e XVII e a coleção de vidros, de que podemos destacar dezoito frascos e jarras de vidro coalhado pintado, bem como copos de decoração gravada e uma original galheta com longo bico vertedor e asa espinhosa. O museu possui também um conjunto de utensílios de trabalho relacionado com antigos mesteres vimaranenses – penteeiro, sapateiro, cutileiro, ourives, tecelão, curtidor, entalhador e pedreiro.
Para quem estiver interessado em conhecer mais em pormenor estas coleções, é sempre possível ter acesso às fichas de algumas destas peças, através da consulta via net (Programa MatrizNet e MatrizPix), ou então solicitar ao museu, com algum tempo de antecedência, a sua consulta.

Lista de Conteúdos