Os museus de Guimarães mantiveram em 2012 a tendência de subida de público a que se vem assistindo nos últimos anos. O conjunto museológico do Monte Latito, composto pelo Paço dos Duques de Bragança e pelo Castelo, foi visitado por mais de 435 mil pessoas no último ano, enquanto o Museu de Alberto Sampaio foi procurado por quase 71 mil.
Paço e Castelo registaram um aumento de 26,1 por cento face a 2011. E os visitantes nacionais foram os que mais aumentaram, totalizando agora 71 por cento do total. Saliente-se também, nestes dois espaços, o incremento de 37 por cento do número de visitantes de nacionalidades que não correspondem aos que tradicionalmente mais se deslocam a Portugal.  
Esta tendência de crescimento de público de outros países, face ao total de estrangeiros, é ainda mais significativa no Museu de Alberto Sampaio: 156,7 por cento! Dentro destes, há um nítido aumento de visitantes provenientes dos Países Baixos, como a Holanda e a Bélgica, que subiram perto de 70 por cento, face a 2011.
Quem também registou, no MAS, uma expressiva subida, de mais de 86 por cento, a maior de todas, foram os visitantes alemães, ocupando agora a quarta posição atrás da Espanha, França e Brasil e ultrapassando a Inglaterra e a Itália.
Em termos absolutos, no entanto, o Museu de Alberto Sampaio contabilizou perto de 71 mil pessoas no último ano, número inferior ao de 2011 (75.550) devido ao facto de em 2012 o Museu ter optado por não proporcionar entrada livre no dia da Feira Afonsina. É que, em 2011, só nos três dias desta iniciativa, organizada pela Câmara Municipal de Guimarães em Setembro, passaram pelo claustro e cerca da antiga Colegiada quase 25 mil pessoas, valor que extravasou completamente os valores médios do MAS para o mesmo mês.