25 de setembro de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

Lenços enamorados

No seguimento do projeto de estudo, certificação e valorização do bordado de Guimarães, o Museu de Alberto Sampaio e a Oficina desenvolveram um projeto em que se pretende unir a tradição e a contemporaneidade através da execução de um conjunto de catorze lenços vimaranenses enamorados feitos em linho e executados com bordado de Guimarães.
Para o efeito, as duas instituições convidaram diversos poetas e artistas plásticos portugueses contemporâneos a contribuir com o seu trabalho para a criação de um «lenço enamorado». A seleção dos poetas foi feita pelo poeta Firmino Mendes.
tradição está na utilização de um costume tradicional português – a oferta a quem se ama de um lenço bordado, marcando-se deste modo a união entre dois namorados –; a que se alia a contemporaneidade na reinterpretação do tema «amor» por poetas e artistas contemporâneos convidados a participar no projeto.
Em cada ano são lançados dois lenços (de uma série de catorze lenços).
Os lenços «editados» e apoiados pelos mecenas do Museu são:
2008. Lenço com poema de António Ramos Rosa, ilustrado por José de Guimarães. Mecenas: António Teixeira e Irmãos, Limitada.
2009. Lenço com poema Albano Martins, ilustrado por Helena Cardoso. Mecenas: Kyaia, de Fortunato Oliveira Frederico.

Lista de Conteúdos

  • Recomende este sítio web

Serviços do Site

Rodapé