Os três Tapetes Salting, pertencentes ao espólio do Paço dos Duques de Bragança (Guimarães), passam a estar patentes ao público numa das sala do museu desse Paço a partir de hoje e são candidatos a Tesouro Nacional, face ao reconhecimento da sua importância e raridade.
Estes tapetes orientais são conhecidos como Tapetes Salting devido ao facto de o colecionador australiano George Salting (1835-1909) ter sido o primeiro a alertar para a sua existência e especificidade (teia e trama em seda, elevada densidade de nós em lã, cores vivas e inscrições religiosas em fio metálico).